top of page
  • Foto do escritorDuarte Dionísio

The Black Wizards - “Reflections”

Atualizado: 28 de jan. de 2021

Reflexos dos tempos

The Black Wizards - “Reflections”

Lançamento: 2019

Sonoridade: Stoner Metal, Hard Rock, Psychedelic Rock, Blues Rock

Editora: Raging Planet Records, AS/RP291 e Kozmik Artifactz, ARTIFACT 73

Produção: Budda e The Black Wizards

Capa: Jbwizard

Formato: CD, Vinil LP 12" (audição em streaming)

Lista de músicas:

1 - Imposing Sun

2 - Outlaws

3 - 56th Floor

4 - Starlight

5 - Symphony of the Ironic Sympathy

6 - Soul Keeper

7 - Kaleidoscope Eyes

O meu amigo Emanuel Ferreira deu-me a conhecer os The Black Wizards. Já tinha ouvido o nome, mas não tinha ouvido a música. “Reflections” é o mais recente álbum, editado em 2019 pela Raging Planet Records em Portugal. Já traziam na bagagem outros dois álbuns e um EP em apenas 4 anos, o que demonstra uma banda profícua. Tanto assim é que para além da composição e edição, juntam também ao trabalho, diversos concertos e mais recentemente uma digressão Europeia interrompida por causa da pandemia. São jovens, mas mostram maturidade quer na composição, quer na estética. Essa juventude interceta com a linha temporal das influências musicais ou até sociais, tendo em conta que a sonoridade vai beber às cascatas sonoras dos anos 60 e 70. Os sons Blues Rock, Psychedelic, Hard Rock de nomes como Jimi Hendrix, Led Zeppelin, Black Sabbath, Blue Cheer e por que não Janis Joplin, só para apimentar o assunto. Isto porque há uma tonalidade hippie na salada de frutas que a banda cozinhou em “Reflections”. Tudo regado com o Fuzz, próprio de muitas bandas Stoner atuais, que muito lhes é querido, pela forma que promovem o próprio trabalho.

Claro que se levantam questões quanto à inclusão deste álbum no espetro Heavy Metal, mas voltamos ao início de tudo isto para questionarmos se os Black Sabbath ou os Led Zeppelin são verdadeiramente bandas de Metal. Lembro que os Black Sabbath foram catalogados de Downer Rock por alguns jornalistas e os Led Zeppelin tocavam Blues Rock. Enfim, categorizações à parte, os The Black Wizards fazem uma viagem inebriante pelo Rock ao longo de mais de 40 minutos de música no álbum “Reflections”. Álbum que tem uma produção orgânica da era digital, com a contribuição de Budda Guedes, músico de Blues. Há muito sumo para saborear ao longo das 7 músicas. Ondas psicadélicas que se alongam de forma penetrante e nos fazem esquecer que o tempo passa, como nos temas: “Starlight”, “Soul Keeper” ou “Kaleidoscope Eyes”. O Hard Rock Bluesy com peso e Fuzz está sempre ali a mostrar as harmonias irónicas como em “Imposing Sun” ou “Symphony of the Ironic Sympathy”. Até algum Jazz se sente em trechos da bateria na marcação do ritmo com a utilização do Ride. Mas são apenas exemplos. É sumo, daquele extraído da fruta natural, cultivada em solos férteis. Sente-se o aroma de uma voz feminina tão focalizada nas raízes que até os efeitos lhe dão charme. As guitarras impõem a natureza elétrica no soltar dos acordes pelos campos. O baixo mostra mais do que o dedilhar das quatro cordas, é o copo que sustem o sumo e ainda lhe acrescenta uma palhinha colorida. A bateria é a base, a mesa e tudo o resto, muito natural e segura. Há alguma percussão e um pouquinho de álcool para que o sumo ganhe alma. Voltando atrás no tempo ou não, o que importa é compor boa música para nos deliciarmos. Reflexos dos tempos.

Foto: André C. Macedo

Músicos (da esquerda para a direita):

João Mendes - Baixo

João Lugatte - Bateria, Percussão

Paulo Ferreira - Guitarras

Joana Brito - Voz, Guitarras


34 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo

Comments


bottom of page