top of page
  • Foto do escritorDuarte Dionísio

Joker - “Ecstasy”

Atualizado: 28 de jan. de 2021

Hard Rock aromático

Joker - “Ecstasy”

Lançamento: 1992

Sonoridade: Hard Rock, Hair Metal

Editora: Polygram, Polydor, 517593 2

Produção: Joker, Kalu, Fernando Rascão

Capa: António Silva

Formato: CD, Vinil LP 12" e MC

Lista de músicas:

1 - All She Wants Is More

2 - Commin' Round to See Ya

3 - Boys and Girls

4 - Ecstasy

5 - Easy Come and Go

6 - Lust for Change

7 - Funky Child

8 - Little Susie

9 - Devil Eyes

10 - Holding On for Keeps

Hard Rock aromático e colorido foi a proposta que os Joker apresentaram ao mundo com o álbum “Ecstasy”. Este primeiro lançamento da banda de Cascais foi editado pela Polygram Portuguesa em 1992 e teve co-produção de Kalú dos Xutos & Pontapés e Fernando Rascão. O resultado foi um som limpo, coeso e direto. A banda seguiu os melhores exemplos internacionais de bandas como Ratt, Dokken, Poison, Warrant, Whitesnake, Danger Danger, Extreme e tantas outras que lograram sucesso em períodos distintos. Adicionaram perfumes Funky em “Funky Child” ou um cheirinho R&B Bluesy à la “Blue Velvet” no tema “Ecstasy”. Depois há uma aproximação às baladas em “Easy Come And Go” e “Litlle Susie” a lembrar os Whitesnake. Ainda uma música de Whisky Bar com “Holding On for Keeps” e muito Rock ao estilo Hair Metal em “Commin' Round to See Ya, “Boys and Girls” e “Devil Eyes”. Tudo começa com uma introdução algo grandiloquente no tema “All She Wants Is More” que é afinal um Rock electrizante e frenético. As letras são na maioria alusivas a sexo, relações e festa, o típico sex, drugs & rock’n’roll assenta que nem uma luva ao discurso da banda. É notório algum virtuosismo do guitarrista Paulo Ferreira, com solos bem trabalhados e riffs consistentes. A secção rítmica serve da base aos devaneios estilísticos da voz e guitarra sem “desenhar” breaks extrovertidos. Os teclados são como uma cama que sabe tudo que se passa e deixa que tudo aconteça, dando aquela sensação de conforto aos amantes. Tiago Gardner é um vocalista ansioso, demonstrando um timbre interessante, sempre a puxar pelas cordas vocais. Refrões e coros que ficam na memória auditiva fecham o ciclo.

“Ecstasy” dos Joker faz-me pensar quando voltará uma editora multinacional Portuguesa a apostar numa banda de Hard Rock ou Heavy Metal nacional. Analisando as atuais condições para edição de álbuns, parece quase impensável isso acontecer. Na altura, acreditou-se que os Joker poderiam disparar para um sucesso de grandes proporções. Houve um ressurgimento do Hard Rock, com algumas bandas a atingirem os tops a nível internacional e os Joker tinham os dados lançados para algo de extraordinário. O tema “Little Susie”, que já tinha sido gravado na demo de 1990 e principalmente “Easy Come and Go” tiveram bastante airplay radiofónico. Com a máquina da Polygram Portuguesa por trás e um som de fácil digestão, que se ouvia na rádio, nos bares e discotecas, tudo indicava uma carreira de hits e muita estrada. Sem dúvida que tiveram impacto, mas foi uma montanha que pariu um rato. Os Joker e o primeiro álbum “Ecstasy” perfumaram o nosso panomara Rock pesado, isso ficou até hoje e felizmente podemos continuar a ouvir o álbum.

Fotos: Isabel Pinto

Músicos (da esquerda para a direita):

Luis Páscoa - Bateria

Hugo Granger - Baixo

Tiago Gardner - Voz

José Vasconcelos - Teclados

Paulo Ferreira - Guitarras


266 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo

Comments


bottom of page