top of page
  • Foto do escritorDuarte Dionísio

Incognita - “Madeirus Sarcasticus”

Atualizado: 28 de jan. de 2021

Madeira entre o Metal e o Groove

Incognita - “Madeirus Sarcasticus”

Lançamento: 1995

Sonoridade: Thrash Metal, Groove Metal

Editora: Virtual Records, VR001

Produção: Incognita, Quim Monte e Ramiro Martins

Capa: Johnny Garcia

Formato: CD

Lista de músicas:

1 - No! We Won't Kiss Your Ass!

2 - Hypocrite

3 - Bad Bones

4 - Corrupted Politician

5 - Abduction

6 - Playin' Chicken With A Bullet

7 - Fuck! I Hate Monday

8 - Eye 4 An Eye

9 - Fuck That!

10 - We Don't Care

11 - Eco Killers

12 - Molderonavasinum

A abordagem ao Thrash Metal dos Madeirenses Incognita é feita com Groove, numa perspetiva de cruzar influências. Foi essa sonoridade que a banda apresentou no álbum “Madeirus Sarcasticus”. O lançamento aconteceu em 1995 como o primeiro longa duração, depois da edição das habituais demos e um CD EP com três músicas. Na generalidade as músicas possuem um ritmo mid tempo sempre com riffs cadenciados, mas com peso, ao mesmo tempo que se sente o Groove. Há, no entanto, algumas acelerações que mostram o lado mais Thrash ou até Hardcore dos Incognita, como por exemplo “No! We Won't Kiss Your Ass!”, “Abduction”, na parte final de “Corrupted Politician” e ainda no final de “Eco Killers”. As afirmações pragmáticas contra uma sociedade em contínua negação dos valores humanos e da natureza são gritadas com uma voz ríspida e agressiva, no entanto, bastante percetível. Sempre foi apanágio das bandas do género, apresentar vozes combativas para exprimir a raiva e a visão sobre temáticas socias e os Incognita alinharam nessa onda. Os melhores exemplos são temas como “Hypocrite”, “Corrupted Politician” ou “Eco Killers”, só para citar exemplos cujos títulos são explícitos. O baloiçar de ritmos é marcado por um baixo que assegura a base sonora com notas graves, mas que espreita entre as frestas com acordes groovy mais atrevidos, proporcionando lufadas de ar fresco. A bateria também é irrequieta, com mudanças e quebras de ritmo, que pintam as músicas de diferentes coloridos. A guitarra não se deixa intimidar pelo arrojo rítmico e aplica potência máxima nas harmonias pesadas, ora a criar uma barreira de distorção, ora a divagar em riffs inesperados e ainda em solos contidos, mas convincentes. “Madeirus Sarcasticus” é um álbum interessante do ponto de vista da descoberta, porque surpreende a cada esquina. À primeira vista lembra bandas com Mordred, Xentrix e Anthrax.

O facto de terem origem na Ilha da Madeira não impediu a gravação deste álbum no Continente, nem a conquista de espaço no Metal Nacional. A insularidade pode ser vista como um fator de dificuldade, mas a verdade é que houve e há bandas muito interessantes a produzir sonoridades de peso que surgem das ilhas. Claro que nos anos 90 as barreiras eram superiores, mas com a facilidade que os instrumentos digitais oferecem, tudo se tornou mais fácil. Apesar disso, os Incognita tiveram a sua quota de importância no Heavy Metal Português. Na verdade, ainda estão de certa forma ativos e muito provavelmente surgirão mais novidades.


Foto: Gregório Cunha

Músicos (que gravaram o álbum):

Marcio Ferreira - Baixo

Luis Vieira - Guitaras

Carlos Ferraz - Voz

Estanislau Gouveia - Bateria


Posts recentes

Ver tudo

Comments


bottom of page