top of page
  • Foto do escritorDuarte Dionísio

Evisceration - "Hymn To The Monstrous"

Atualizado: 28 de jan. de 2021

Hino aos monstros do Grind

Evisceration - "Hymn To The Monstrous"

Lançamento: 1994

Sonoridade: Death Metal, Grindcore

Editora: Dark Records, DKR - 003

Produção: João Martins, Evisceration

Capa: Luis Valério

Formato: CD

Lista de músicas:

1 - Farewell to Earth, Heaven and Sun

2 - Torments of a Dying Victim/A Hymn to the Monstrous

3 - Consumed Act

4 - Fever Hallucinations

5 - A Morbid Sensation of Cold

6 – (The Art of) Impalement

7 - Profound Wounds

8 - A Strong Temptation to Kill

9 - In the Flesh

10 - Dead Foetus

11 - Dismembering Process of a Four Month Child

12 - Extremely Brutalized

13 - Outro

"Hymn To The Monstrous", o único álbum editado pelos Setubalenses Evisceration, é a combinação perfeita das peças que moviam o Metal em meados dos anos 90, na Margem Sul. Uma banda de Setúbal, um estúdio de Almada e uma editora do Barreiro. A banda: Evisceration a praticar um Death Metal/Grindcore estruturado com base nos exemplos americanos Cannibal Corpse, Repulsion, Terrorizer, entre outros. O estúdio: Heaven Sound com João Martins nos comandos que gravou muitas das bandas do underground metálico. A editora: Dark Records um dos projetos que emergiu na década de 90 e ajudou a consolidar o Metal nacional. Apesar de efemeridade de todas as estruturas, a verdade é que alguns documentos históricos ficaram para sempre na nossa memória. “Hymn To The Monstrous” é disso um exemplo, deixando a sua marca como o primeiro álbum de Grindcore a ser editado no nosso país. Pode parecer insignificante, mas só vivendo e conhecendo a realidade de Portugal, lhe podemos atribuir a importância que merece.

Houve coragem e intenção para compor músicas com contornos macabros num país sem tradição para tal. Vozes guturais, guitarras de serra elétrica a rasgar a carne, blastbeats frequentes e estonteantes e uma base de 4 cordas ensanguentadas. A sonoridade é brutal, mas deixa espaço para passagens sinistras, como o tema de abertura “Farewell to Earth, Heaven and Sun” que nos convida a entrar na melancolia para depois sermos despedaçados pelos temas seguintes. Há também uma entrada mid-tempo algo Blackish na música “Consumed Act”. Muito Gore, sangue e pancada na cabeça. Os Evisceration sabiam o que queriam, pena terem deixado apenas este registo.


Foto: Luis Valério

Músicos:

Carlos - Voz, Guitarra acústica, Teclados

Hugo - Guitarras

Jorge - Baixo, Teclados

David - Bateria

68 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo

Comments


bottom of page