top of page
  • Foto do escritorDuarte Dionísio

Corpus Christii - “Saeculum Domini”

Atualizado: 28 de jan. de 2021

Tormenta infernal

Corpus Christii - “Saeculum Domini”

Lançamento: 2000

Sonoridade: Black Metal

Editora: So Die Music, SMCD002

Produção: Pedro D. S. Ferreira e Corpus Christii

Capa: Sinapses Criativas Design

Formato: CD

Lista de músicas:

1 - Flama Tenebrarum

2 - Victoria Cruenta

3 - Jesus Cunt Lickers

4 - Crown Denied

5 - Throne Of The Proud

6 - Holy Masturbation

7 - Ave Domini

8 - All Hail... (Master Satan)

9 - Throne Of The Proud (Live)

10 - Rape, Torture & Death (Live)

O que se ouve no álbum “Saeculum Domini” é uma devastação sonora de princípio ao fim, quase sem descanso e sem quebras. Quase, porque se ouvem uns sons de teclados e alguns riffs de guitarra que procuram terrenos mais entendíveis. A fraca produção, na falta de melhor terminologia, não permite fruir da criatividade ingénua que as músicas transparecem. Pode-se argumentar que houve intenção em apresentar um som cru e pouco limado, características de algum Black Metal, nesse caso o objetivo foi atingido. Esse facto não iliba, por si só, o som distorcido em algumas quebras de ritmo da descarga sonora. A total aniquilação dos nossos sentidos só alivia um pouco no início da quarta música “Crown Denied”, onde se ouvem uns acordes de guitarra mais compassados e a bateria programada desacelera do constante e furioso duplo bombo com blastbeat. Assim como no início de “Throne Of The Proud”, os teclados sopram uma melodia enganadora, apenas para abrir a porta às tormentas do Inferno. Ainda em “Holy Masturbation”, o baixo domina o início de forma autoritária. Do que se consegue aferir ao longo da audição, os Corpus Christii gravaram um álbum negro, assolador, ruidoso, anticristão, repleto de ódio. Satanás e os seus discípulos são reverenciados nas líricas em total crispação com Deus e o seu rebanho. Sendo garantidamente fruto de muita inexperiência, tendo em conta que foi apenas o primeiro álbum, não deixou de mostrar a acutilância dos dois parceiros de viagem: Nocturnus Horrendus e Ignis Nox. E é dessa energia que surgem as ideias e a vontade de as concretizar. Embora o resultado final seja, por vezes, apenas uma mão cheia de intenções, a continuação pode trazer frutos. Isso tem acontecido com a banda, que está ativa até hoje e muito produtiva, havendo uma notória evolução. Oiça-se a voz de Nocturnus Horrendus que passou de um guincho indefinido para algo mais pensado e penetrante.

“Saeculum Domini” foi editado em 2000 pela So Die Music, que editou poucos mas devastadores álbuns. Permitiu aos Corpus Christii darem início a uma carreira que depressa transbordou fronteiras e levou a depredação lusitana a outros países. Este é um álbum de Black Metal básico, cru, imberbe, apoiado no que foi feito por outros nomes da cena anos antes. É de difícil audição, mas arrasa qualquer manada tresmalhada de ímpios. Hail The Master!

Foto: Cátia Rua

Músicos que gravaram o álbum:

Nocturnus Horrendus - Voz, guitarras e baixo

Ignis Nox – Teclados e programações


67 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo

Comments


bottom of page